segunda-feira, 27 de julho de 2009

O que se sente depois!

O que se sente depois de apitar uma final destas?!
Primeiro, para entender, tem de se conhecer um pouco o contexto em que se jogam estes jogos especiais.
Existe uma grande rivalidade entre os dois países em tudo. Ambos pensam, sentem e dizem que são melhores do que os vizinhos e que estes são arrogantes, em tudo.
Os longos anos que visito os dois países, deram para perceber e achar graça à maneira como se referem aos vizinhos de fronteira.
A Holanda tem, no corfebol, uma grande superioridade mas, às vezes em torneios de jovens e muito poucas nos seniores, os belgas conseguem ganhar e é um stress.
Nas duas últimas vezes que isso aconteceu eu fui o árbitro, nem queiram saber!
A pressão que põem nos jogadores é muita, nuns é porque são muito bons e têm todas as condições e mais que obrigação de ganhar e noutros porque acham que um dia vão ganhar e que pode ser desta vez.
Acresce ainda o facto de ser uma final mundial e estar a ser transmitida pela TV em directo, aumenta a pressão nos jogadores e a tensão entre as duas equipas.
Eles, por vezes, conseguem mesmo portar-se como animais.
Nas horas que antecedem o jogo, todos me vêm dar os parabéns e dizer que só podia ser eu, os jogadores das equipas olham para mim de uma maneira que não sei descrever e os dirigentes da arbitragem fazem-me sentir diferente dos outros árbitros e posso fazer tudo.
A minha preparação e o durante o jogo não conto porque só a mim me diz respeito e não é o propósito deste post.
Após o jogo terminar sinto um vazio muito grande como se não houvesse mais nada para fazer, pensar ou sentir, por momentos não oiço nada e falo tipo automático, respondo.

1 comentário:

lau_tiago disse...

Ah,pois é! Mister,que é Mister, nunca revela o seu segredo. E depois... como é qué?! Na, na!
Nada disso! Diz sempre que é MUITO JOGO! São "MUITOS" anos!
;-P