terça-feira, 30 de junho de 2009
















O Comité Olímpico de Moçambique falhou. O curso de formação de treinadores que íamos ministrar não se pode realizar porque não havia gente.

Almoço simples na Barragem dos Pequenos Linbombos.

De tarde fomos ensinar os miúdos do Olimpafrica, em Boane, a jogar Corfebol.


segunda-feira, 29 de junho de 2009

domingo, 28 de junho de 2009

Vaal river

Hoje está um dia espectacular e é domingo.
Vou passear porque também tenho direito ao descanso, não é só trabalho!
Tenho como destino a região do Vaal que dizem ser muito bonita.
A Canon depois mostra!

sábado, 27 de junho de 2009

Rugby e Churrasco

Há churrasco por tudo e por nada, desta vez foi em casa do Hein porque os Springbox (Selecção Sul Africana) jogavam com os British Leons (os melhores jogadores de Inglaterra e Irlanda). Esta deslocação dos inglese acontece cada 4 anos e é à melhor de três. Hoje os Springbox ganharam o segundo jogo e a série.
Houve festa, a carne, vinho e a Amarula eram muito bons.

Se os meus fossem assim

Desta vez na "Cheap Town" os alunos eram adultos mas a disciplina a mesma, tentam absorver tudo o que se lhes diz.
De tal modo que adiamos a nossa partida para Moçambique por um dia para dar mais uma sessão por aqui.
É muito fixe ás oito e meia da manha sair do carro e ouvir o mais atrevido deles vir dar-me um abraço e dizer -"Olá treinador, estávamos a sua espera".
De resto, sempre que paro o jogo ou sessão para falar, eles ouvem mesmo.
E são muitos.
Era mesmo bom que os meus também fossem assim, nem que fosse só de vez em quando.

Numero uno

Daqui a pouco começo a acreditar.
Já é a terceira vez, quarta se contar com alcoolizados, que me apresentam a alguém por aqui e a pessoa que me está a ser apresentada diz, -"oh you are the number one". Referindo-se ao ranking de arbitragem (que não existe).
Mas este foi diferente.
Fê-lo em espanhol, talvez para me agradar mais.
Sabe bem!

Coitadas das ovelhas

Porquê tantas ovelhas a serem vendidas à beira da estrada?
Porque ontem foi a quarta 6ª feira do mês.
Sim eles recebem na segunda e quarta 6ª feira de cada mês.
Mas porquê comprarem ovelhas?
Porque é uma espécie de culto dos negros desta zona, têm de periodicamente por razões espirituais de sacrificar uma ovelha e comê-la. Levam-na para casa, cortam-lhe o pescoço e fazem uma festa.
Ao que dizem, as ovelhas são tão estúpidas que nem barulho fazem quando lhes estão a cortar o pescoço. Só vendo.
Já agora, nestas 6ªs feiras depois da hora do almoço, e ainda mais perigoso passear nestes guetos, nem o meu amigo Hein o gosta de fazer.
É que eles têm dinheiro, bebem e não sabem o que fazem.

Se fosse negra até se aceitava!

Hoje de manha, no caminho de casa para o centro desportivo deparamos com um grande aparato policial e muita gente. O Hein explicou que uma mulher tinha, com as mãos, estrangulado o filho de quatro meses, tinha-o metido num saco do lixo, tinha esperado na beira da estrada por um camião e quando este passou atirou o saco. Mas a criança não estava morta, foi o camião que acabou por mata-la.
Até aqui, apesar de triste e mostrar como vai o mundo. Tudo bem, basta ligar nas noticias em Portugal e há sempre uma história com contornos semelhantes em qualquer parte do planeta.
O que mais me chocou, e dá que pensar foi o comentário dele.
-"Ela é branca, se fosse negra até se aceitava!"

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Caça


A casa do Ditter está cheia de cabeças de animais embalsamados, que ele próprio ou o filho de 13 anos caçaram.
De inicio comentei que devia ser mito giro fazer uma coisa destas, apesar de ter sempre pena dos animais. Ao que me foi respondido de imediato - "se ficares mais uns dias, podemos organizar uma". "Ou então da próxima vez que cá estiveres".
Depois comecei a ver as dezenas de fotos espalhadas pela parede da sala e vi algumas coisas algo estranhas que questionei.
Resposta - É um ritual, aqui na África do Sul a primeira vez que abates um animal selvagem, se fores júnior tens de beber sangue ainda quente do animal e comer-lhe os "corones" se for um macho. Ficas com o puder do bicho.
Se fores sénior (seria o me caso), tens de abri-lo, cortar um bocado do fígado e comer ainda quente.
Acho mesmo que prefiro os binóculos e a minha Canon, afinal eles são tão giros vivos, para que mata-los!

Churrasco e ritual

O Ditter fez um churrasco para comemorar a minha vinda.
O ritual pelo qual tive de passar por ser 1º vez em sua casa consiste em beber (sempre que se lembram), uma espécie de licor, muito bom por sinal mas que bate com força, especialmente quando intercalado com cerveja (era o caso).
O principal problema é que o meu copo, por ser em minha homenagem, era diferente do dos outros, enquanto o deles estreitava no meio, a parte maior, o meu era igual mas tipo balão, logo a quantidade de liquido é muito maior.
Aguentei-me bem, pelo menos até começar começar com o vinho ao jantar.
Enfim, no final foi ele que me conduziu a casa no seu belo Mercedes.
Belo jantar e bela noite, mas não pode ser sempre assim.
Estava a brincar, pode e deve.

Ele hoje parece estar de bom humor!

Game Drive é o nome que dão a um pequeno safari numa reserva natural onde os animais selvagens estão, embora confinados a um espaço fechado, este é tão grande que se pode dizer que estão livres. As cercas electrificadas são mais para sua protecção que propriamente para os ter presos.
É sempre excelente ver animais selvagens no seu habitat, se a maioria já tinha visto em visitas anteriores a outros parques, desta vez a grande emoção veio de estar frente a frente (eu dentro e eles fora do jipe), com dois rinocerontes brancos.
O guia exclamou -“estão ali”, e dirigiu o jipe mesmo no sentido dos bichos até ficarmos a menos de 2 metros deles.
O Daniel de repente desapareceu do meu campo de visão, indo alojar-se na outra ponta do banco de trás do carro, ao que o guia apressou-se a dizer -“não se preocupem, ele hoje parece estar de bom humor!”.
Felizmente estava, deu umas excelentes fotos. Mas tive que tirar todo o zoom.

Cheap town

Hoje de manhã quando me disseram que íamos ensinar corfebol a crianças numa "cheap town", fiz uma pergunta estúpida. Que é isso?
A tradução é cidade barata, o que nós chamamos um gueto. Neste caso onde vivem mas de 35 mil pessoas, foi-me explicado que, em grande parte do mesmo nem a policia entra.
Nós entramos porque o meu amigo Hein faz nesta zona, trabalho de carácter social há mais de vinte anos e segundo diz, os negros não mordem a mão de quem lhes dá comer.
O cartaz à porta do "Centro Desportivo" não me deixou muito mais seguro de que tudo ia correr bem, mas assim que entramos tudo mudou, tal não foi a maneira quente como fomos recebidos, apesar dos 6 graus.
Em pouco tempo tinha a minha Canon pousada nos degraus do pavilhão à mercê de qualquer um.
Ensinei corfebol a crianças muito pobres sem as mínimas condições, algumas descalças no cimento gelado.
Ocorreu-me logo, "porra, e os meus meninos em Lisboa preocupados com a côr dos seus ténis de marca, alguns a mais de 100€ não combinar com a côr do elástico do cabelo", são realidades diferentes mas dá que pensar!
Experiência muito boa, todos deviam ter.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Era 5ª feira e ninguém me avisou

Pois é, fui jantar com os meus amigos sul africanos e deparei-me com o facto de que escolheram o restaurante pelo dia da semana, eu não percebi porquê.
Afinal, por estes lados à 5ª feira vai-se ao La Boma porque é dia de camarão.
O preço é fixo, 50 rad, e à porta está escrito em bom inglês "eat as much as you can".
Nem sequer é para comer o que queremos, têm o desplante de nos desafiar a comer aquilo que conseguir-mos.
Ninguém me avisou, não ia preparado e neste caso não representei bem o pais.
Eles ganharam! Já eu tinha encostado ás cordas fazia um bom bocado e eles continuavam a ir buscar pratos cheios de camarão como se o mundo fosse acabar antes da próxima quinta feira.
Até o vinho era à descrição, era só ir à pipa encher o copo.
E nem isso eles fazem, pedem aos filhos, tal é o peso daquelas barrigas carregadas de marisco.
Eu neste caso, e apenas neste, posso dizer que também me aproveiteis das criancinhas, mas foi por uma boa causa. A linha do horizonte a partir de uma certa altura começou a ficar ondulada.

África do Sul - Vanderbijlpark

Vinte e seis horas após sair de casa cheguei à Guesthouse La Rosa em Vanderbijlpark.
Depois de tomar o pequeno almoço em Lisboa, almoçar em Londres, lanchar em Espanha, jantar no Norte de África, tomar o primeiro pequeno almoço no Botswana e o segundo em Joanesburgo.
Estou a preparar-me para almoçar em Vanderbijlpark.
Ainda dizem que tenho uma boa vida!
E de facto tenho.
A cidade é bonita e calma só com prédios pequenos, até porque espaço é coisa que não falta por aqui.
A casa que me destinaram é maior que a minha e não imagino nenhuma comodidade mais que possa ter.