domingo, 12 de julho de 2009

Catorze minutos


O tempo aqui é totalmente diferente de África, é um mar de pessoas , que apesar dos trinta e cinco graus e quase oitenta % de humidade, correm de um lado para o outro como se não houvesse amanha.
Ivan, o meu amigo Chinês, foi-me buscar ao aeroporto e depois de deixar as malas no hotel fomos almoçar a um restaurante muito popular e concorrido no centro de kowloon.
Tinha fila para entrar mas não demorou muito, depois vi porquê!
O empregado chamou-nos e disse para nos sentarmos numa pequena mesa onde já um casal bebia sofregamente o seu caldo. Menos de dez segundos depois de estar sentado o empregado trás dois copos de agua a ferver e pergunta apressadamente o que queiramos comer. Do pedido à chegada dos pratos à mesa foi menos de um minuto.
Fiquei à espera que viesse o chá, mas vieram os talheres e imediatamente o Ivan espeta com ele dentro dos copos. Ainda bem que não perguntei pelo chá!
Era para para lavar os talheres.
Comi apressadamente, o meu prato de massa, quase que pressionado pela pressa dos outros.
Acabei de comer e bebia o meu sumo de limão quando o Ivan me diz - "não bebas tão depressa, se acabas correm contigo e eu ainda não terminei".
E assim foi, assim e traguei o último gole, o empregado atira um papel para cima da mesa e nem me deixa pousar o copo. - "Paguem na caixa!"
Com um pano sujo limpou o nosso lado da mesa, do outro já estava outro casal sentado, e disse num inglês quase imperceptível: -"You must leave!"
Fora catorze minutos desde que entrei até que sai!

Sem comentários: