quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Dafo, Le Shan

"Post que publiquei a 24 de Agosto de 2010 durante a minha volta ao mundo,
inserido no projeto Caminhos Cruzados."
 
Dafo (Grande Buda) é o maior Buda do mundo cravado na rocha com 71 metros de altura. Concluído em 803 D.C.
Foi projetado em 713 A.C. Pelo Monge escultor Haitong como forma de proteção aos barcos que navegavam no rio e ao mesmo tempo para proteção divina contra as cheia que sempre assolaram a região.
Tudo leva a crer que não resultou muito, porque ainda no dia de hoje, não pudemos fazer o passeio de barco por causa das cheias.
Na cidade, as zonas junto ao rio estão todas submersas, só vemos as copas das árvores.
No caminho para aqui, passamos por um ringue desportivo onde a água chegava ao cesto de basquetebol.
Mas mesmo assim ainda bem que a construíram, a estátua é monumental!
Além de tudo isto, o monge, teve ainda um grande sentido prático, utilizou o cascalho retirado, resultante da construção da estátua, para assorear o rio. Se assim não fosse quem sabe se não seria pior.
A visita a este monte, onde existem muitos outros templos, é muito agradável, não obstante os milhares de degraus que temos de subir e os milhares de locais que temos de “aturar”.
Têm sempre muita pressa e querem passar sempre à frente, quase que nos atropelando usando os braços para nos afastarem e quando paramos numa qualquer fila, é um pouco irritante sentir que o de trás só para depois de bater. Sempre!
É uma questão cultural e só nos resta respeitar e ter paciência. Eu parece que já me habituei sem levar a mal ou irritar-me mas sem aderir.
Conheço gente que fica fula da vida. Mesmo quando não tem pressa!
Descendo a escada lateral ao longo do Buda vamo-nos apercebendo da grandeza da estátua, contudo, só quando chegamos à base da mesma é que nos apercebemos que ainda é maior. Cada pé mede 8 metro e dez homens podem sentar-se apenas num dedo dos dedos.
Fico a imaginar, se fosse nos dias de hoje e o Buda tivesse aderido à moda.
Qual seria o peso de um brinco para uma orelha de 7 metros de altura?
E o furo na mesma?
 
Só mais uma curiosidade, Haitong (o monge escultor), vivia numa gruta abaixo da cabeça de Dafu, que ainda lá esta mas é muito escura e húmida, pelo que penso que o monge deveria de sofrer de reumático e outras doenças associadas. Mas isso agora não interessa nada.
Dizem que uma vez um funcionário ameaçou cegá-lo caso o monge não lhe desse parte dos fundos angariados para a construção da gruta.
O monge, como prova da sua honestidade, arrancou ele próprio os olhos.
Assim, não viria a ver concluída a sua obra por duas razões.
Porque estava cego e porque morreu antes da conclusão da mesma.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

A andar se faz o caminho

"Post que publiquei a 25 de Novembro de 2010 durante a minha volta ao mundo,
inserido no projeto Caminhos Cruzados."

Neste caso a andar de Bus!
Sai de Kathmandu com bilhete para Sunauli (fronteira entre o Nepal e a Índia) e fui parar a Lumbini (a cidade onde nasceu Buddha).
 
Não, não adormeci e fui até ao fim da linha nem me enganei no autocarro.
Tudo começou no dia anterior quando fui comprar o bilhete e decidi-me pelas carreiras do governo em vez do Autocarro de Turismo (com mais espaço para as pernas, parte mais ou menos a horas e não pode levar nepaleses). Afinal era o dobro do preço, poupei 4 euros. A viagem também era só cerca de 5 horas e como comprei o lugar 1A  com mais espaço para as pernas a coisa dava-se.
O bus partia às 7:30 da manha e antes das 7:00 já lá estava dentro para marcar o lugar. Apesar dos lugares virem marcados nos bilhetes eles mudam-nos para por os amigos sem direito a reclamações, mesmo quando as pessoas já estão lá sentadas. Mas desta vez estava mesmo decidido a ir no meu lugar.
Ás 7:50, lá fora a azáfama para arranjar passageiros para os lugares vazios continuava, nisto vejo a dirigir-se não nossa direcção o homem que controla todo o parque dos bus com um casal. Entra no bus e pede-me o bilhete.
Já tinha visto aquele filme uma data de vezes.
“O teu lugar é lá atrás!” Disse o homem com um ar imponente franzindo a testa como quem está cheio de razão.
“Não é não!” Disse eu ainda com um ar mais imponente, tirando-lhe o bilhete da mão, sorrindo para ele e ao mesmo tempo espetando o indicador ao lado da cara, apontando para o número do lugar que estava escrito memo por cima da minha cabeça.
“O teu lugar é lá a trás! Este lugar está reservado!”
Aí, meti o resto da banana que estava comer no canto da boca como se fosse um charuto e enquanto pegava na mochila disse pelo outro canto da boa.
“Ok! Então tira a minha mala do tejadilho que vou à bilheteira buscar o meu dinheiro de volta.”
Fez cara de mau, praguejou em nepales e fez-me sinal com a mão para me sentar. Sentou os amigos lá atrás e ficaram todos a rir dentro do autocarro.
Dez horas e muitas paragens depois, ainda não tínhamos chegado. O cobrador fez-me sinal que a minha paragem era a próxima e eu perguntei se era a última.
“Não, este bus vai para Lumbini!”
Pensei alguns segundo e não me estava nada a apetecer passar a fronteira e apanha outro bus de 16 horas até varanasi.
Ok, então vou até à última paragem!
Paguei mais 40 rupias e foi assim que cheguei à terra de Buda onde fiquei um dia e meio.
A cidade não tem nada, mas o recinto onde está o templo é muito tranquilo e relaxante com muitas pessoas espalhadas pelo parque a meditar à sombra se grandes árvores.

Segundo dizem no mês de maio de 642 AC Maya Devi deslocava-se para casa de seus pais em Devadaha para ter o seu parto, ao passar neste local entrou em trabalho de parto e deu à luz Siddharta Gautama, aquele que viria a se o futuro Buddha.Também dizem que assim que veio ao mundo afirmou - “Este e o meu ultimo renascimento”. De seguida andou dando sete passos sob os quais nasceram igual numero de flores de lotus.
Em 249 DC o Imperador  Ashoka, convertido no Budismo, visitou Lumbini no vigésimo aniversario do seu reinado e aqui colocou quatro stupas e um pilar de pedra que se mantém de pé. Este tem uma inscrição onde diz que o O rei Piyadasi (Ashoka), no 20 aniversario da sua coroação, visitou Lumbini a terra onde nasceu Buddha Sakyamuni.
O pequeno mosteiro construído ao lado deste pilar de pedra tem até um letreiro que indica o local exacto onde nasceu lord Buddha.
Não sei como descobriram, mas ta lá a seta. 
 

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Insólito

"Post que publiquei a 23 de Outubro de 2010 durante a minha volta ao mundo,
inserido no projeto Caminhos Cruzados, e que hoje recordei."

Indivíduo do sexo feminino de apenas 3 anos, é mandado parar numa operação stop, quando se deslocava em marcha lenta no centro de Kathmandu. Aparentemente num ato de provocação dos agentes da autoridade presentes no local.
 
  Após acesa troca de palavras entre condutora e polícia,
 a criança, socorreu-se dos únicos dotes femininos que a tenra idade lhe permite, e tentou apelar à chantagem emocional, começando a fazer beicinho...
 e posteriormente a chorar.
O agente da autoridade reagiu com um sorriso de constrangimento aos olhares recriminatório dos muitos transeuntes que apenas presenciaram a última parte da cena.








Este bem podia ser o título desta sequência de fotos.Mas não! Não se tratou de nenhuma operação stop e muito menos a criança vinha a conduzir a mota! Estava eu a passear no centro de Kathmandu, quando ouvi um apito de um polícia. Olhei e vi que um homem tentava passar de mota para uma zona interdita a veículos motorizados em Durbar Square. Ele parou, o polícia correu na sua direção, uma troca de palavras, o homem desmonta a motorizada e afasta-se. Ao volante ficou esta criança! Ao que parece, por dois minutos o polícia ficou a tomar conta da criancinha enquanto o pai foi buscar algo num local onde não podia ir de mota. 
Eu apenas me aproveitei desta feliz coincidência para criar esta história.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Heróis do Gueto de Varsóvia


Durante a ocupação nazi na 2ª Guerra Mundial, os alemães construiram aqui um grande gueto cercado por um muro onde colocavam os judeus. Estima-se que a população dentro do gueto tenha chegado aos 380.000, as condições eram muito más e pouco abonam à condição humana. A fome e doenças eram abundantes.

No verão de 1942 os alemães iniciaram a deportação em massa de judeus para os campos de extermínio, em apenas cinquenta e dois dias 300.000 judeus foram embarcados campo de extermínio de Treblinka onde morreram nas câmaras de gás.



Para os que restavam, não havia nada a perder, era esperar a sua vez de ser enviado para Treblinka ou morrer a lutar.
  
Este memorial é dedicado aqueles que durante meses escavaram túneis por baixo das casas, ligando zonas da cidade através das redes de esgotos, e utilizavam-nos para atacar as tropas nazis e para fugir para zonas mais seguras. Os alemães respondiam fazendo explodir quarteirões inteiros e capturando e matando o máximo de judeus que podiam.

As hostilidades tinham começado em Janeiro de 1943 mas a batalha final começou a 19 de Abril, na noite da Páscoa judaica, e tudo terminou a 16 de Maio.




Gerações


Apanhei três gerações, de mulheres de uma família polaca a olhar com ar muito estranho para mim.
Que será que cada uma delas pensou?
Aceito hipóteses de quem quiser arriscar.

Livros Gelados

Em Varsóvia descobri a Literatura Gelada.
Existem muitas livrarias e muitos cafés têm livros para os clientes lerem enquanto consomem, mas mesmo assim existem bancas na rua e nem a neve parece estragar o negócio.