segunda-feira, 28 de setembro de 2009

UV

Os raios ultravioleta aqui, perto do Pólo Sul, queimam mesmo. Existem montes de avisos que começam logo nos prospectos que nos dão no aeroporto com informações turísticas.
Ao que parece, os cientistas, há alguns anos atrás, quando vieram medir a camada de ozono por cima desta região, julgavam que os dados obtidos eram impossíveis e mandaram vir outros medidores da América. Mas também estes davam zero, ou seja, a camada de ozono aqui por cima é nula o que faz com que os raios solares UV não sejam filtrados e sejam altamente nocivos, tanto para a pele como para os olhos porque queimam a retina.
Embora estando a recuperar lentamente, pensa-se que provavelmente só daqui a cinquenta anos a camada de ozono permita filtrar os raios solares a um ponto que não sejam prejudiciais à saúde.
Por isso, toca a diminuir a emissão de carbono para a atmosfera. Ainda quero cá voltar e poder andar de manga curta sem apanhar cancro.

Sem comentários: