domingo, 27 de setembro de 2009

Tren Fin del Mundo


Para o transporte de madeira que ia sendo cortada pelos presos, estes tiveram de construir um caminho de ferro até aos bosques, à medida que iam desbravando um bosque, tinham de levantar os carris e mudá-los de sítio para um novo bosque, e assim sucessivamente. Andavam literalmente com os carris às costas!
Assim, não é de estranhar que por toda a cidade exista alusões aos presos e à prisão, tanto pinturas nas paredes como nos próprios "regalos" que os turistas tanto gostam de levar para os amigos e familiares dos sítios onde vão.
Não fiquem os caros leitores entusiasmados, porque eu neste ponto não me sinto minimamente turista... nem nada que se pareça.
Não há "regalos" para ninguém! Querem? Venham cá. Mais nada!

Sem comentários: