terça-feira, 4 de agosto de 2009

Uluru

No meio do deserto, nas terras dos Anangu, existe uma rocha enorme que, não sei de onde e como, apareceu assim do nada. Mas o que interessa é que é magnífica. É a segunda vez que tenho a oportunidade de a ver e subir ao seu topo.
É um lugar sagrado para os Anangu e sempre que morre alguém na tribo isto fecha para que se possam realizar as cerimónias fúnebres, aqui as mulheres também não podem subir, ficam lá em baixo à espera.
Os Anangu pedem para que as pessoas não subam, por ser sagrado e por ser muito perigoso, já morreram trinta e cinco pessoas que escorregam e só param lá em baixo com as únicas consequências possíveis a uma queda desta altura. Mas são muitas as que sobem. Não por muito tempo, pois os aborígenes chegaram a um acordo com o governo australiano e a partir de Outubro acabam-se as subidas, vai ser fechado ao público. Só mesmo para ver.
Aproveitei para subir novamente e disfrutar da paisagem e da serenidade do lugar.
Lá de cima não há palavras para descrever o que se sente ao ver o horizonte depois de uma subida a pique de quarenta e cinco minutos.

Sem comentários: